beruby.com, o portal onde podes poupar!

Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



por Dany, em 13.04.14

Depois de uma relação de quase quatro anos, hoje foi o fim. Não é falta de amor, não quero acreditar que o seja, mas é falta de muitas coisas e principalmente de confiança, custa, mas a verdade é que tudo aquilo que tem acontecido e que nós temos tentando dar a volta por cima esteve aos poucos a destruir a nossa relação, a destruir-me principalmente a mim por dentro. Não sei como será o futuro, sei que hoje amo-te mais até do que à não sei quantos anos, meses, dias, horas mas não posso permitir estar a sofrer desta maneira. Ontem despedimo-nos em lágrimas, um abraço e uma promessa no ar que ficariamos amigos, fui-me embora e não olhei para trás, não podia faze-lo para meu próprio bem. Agora é um novo começo, numa vida velha.

publicado às 14:57

#33

por Dany, em 09.03.11

Se soubesses o esforço que estou a fazer para te não mandar uma mensagem. Isso e para que da próxima vez te vir não te dar um soco.

publicado às 00:07

#29

por Dany, em 01.03.11

 

 

 

 

 

Pintar as unhas de vermelho, porque hoje estou feliz, estou realmente feliz  (:

publicado às 23:47

#28

por Dany, em 28.02.11

Ontem à noite, foi tão bom. :$

publicado às 15:11

#17

por Dany, em 07.02.11

Ontem ou melhor hoje fiz aquilo que já queria ter feito à muito tempo. Não pude falar com ele cara à cara, mas sinceramente já nem me importa de que maneira a conversa decorreu. Disse-lhe tudo. Frisei-lhe que me ia afastar, porque gostava demasiado dele e não sabia o que tudo isto significava, nem tão pouco o que eu significava na vida dele. E agora sinto-me mais solta, mais leve, não vou disser que mais feliz porque isso não é a verdade, mas pelo menos sinto-me bem, sem peso e sem estar sempre a massacrar-me por ainda não ter tido a tal conversa. Aquilo que falamos depois do que eu te disse, sinceramente, não sei se o que tu me disses-te será bom ou mau, mas pelo menos acho que te esforças-te para me mostrar algo. E neste momento parece-me positivo, não que em breve, venha-mos a ter uma relação, mas fiquei com uma ideia daquilo que tu querias, que tu me querias.

publicado às 16:17

#14

por Dany, em 10.01.11

STOP

Parou tudo !

Alexandre - Para a semana já começo a estar mais contigo, penso eu...

(...)

E isto é , fantástico, fantástico, fantástico +.+

publicado às 00:03

#13

por Dany, em 09.01.11

Estava desde ontem , à hora de almoço sem me mandar uma mensagem, fez-me uma pergunta e eu respondi-lhe e desde aí até à um quarto de hora nao me tinha dito mais nada. Tinha-lhe mandado uma mensagem ontem (ou hoje que já passava da meia noite) a agradecer o desprezo que me estava a dar e ele nada. Em todo o dia, nada. Jurei a mim própria que mesmo que ele me voltasse a enviar algo eu nao voltaria a responder e falhei , mais uma vez falhei !

Alexandre - beijinho.

 

Dany - (tentar resistir a responder, aguenta, aguenta , aguenta , não consegue :c)

:o

Obrigada , outro

 

Alexandre - Gorda dorme bem.

Faz de conta que te estou a aquecer os pés...

 

Dany -  (a minha tentativa de desprezo)

Tu tb.

Obrigada , mas tenho os pés quentes.

 

Alexandre - Ruim. Olha não disse nada porque fui buscar a minha prenda de natal... E estive a arranjar e como andei todo o dia contente.. desculpa ( Isto, da prenda de natal devem ter sido peças para a mota ou algo do genero)

 

Dany - Pois (, obrigadinha.)

Mas tb nãotens que me dar explicações.

 

Alexandre - Estás mesmo chateada comigo...

 

Dany - Apenas acho que me podias ter mandado uma simples mensagem.

 

(...)

 

 

E aqui estou eu mais uma vez agarradinha ao telemovel, e a sorrir só porque estou a falar com ele e sei que a qualquer momente ele me responde de volta. Sou mesmo, muito, fraca !

publicado às 23:27

#12

por Dany, em 03.01.11

Hoje estive grande discussão com a minha mãe, e porque? Porque eu tenho tarde livre e como faço todas as segundas quando saío das aulas vou ter com ela ao café, estavamos lá sentados e tal e puxamos a conversa Nazaré e Alexandre , e não ela não me deixou ir para a Nazaré passar a PDA, ela diz para a uma amiga dela que não me tinha deixado ir e tal e que me tinha dado uma raspadinha na noite de 31 e que eu ganhei 10 euros.

 

Eu: Ganhei 10 euros e mais estava com sorte ao amor. [sim, porque o Alexandre tinha sido mm muito querido comigo e teve toda a noite a mandar msg por saber que eu estava triste para não ter podido ir.]

Mãe: Sim, claro.Foi muito querido. Ele lá com a namorada a mandar-te msg e tu cá a chamares-lhe de querido. [e ele nem têm namorada -.-]

 

Desatei logo a chorar, não tenho a culpa, ultimamente parece que ando assim, qualquer coisinha, choro, peguei na minha mala a chorar e saí do café. Sentei-me à entrada de um prédio qualquer acalmei-me o quanto pude limpei a cara e dirigi-me rapidamente para casa. Cheguei e só consegui deitar-me na minha cama a chorar. Passado de um bocado ela chega a casa e vem ter ao meu quarto, disse tanta coisa, mas houve coisas que sei lá, ficam, talvez por achar que podem ser verdade.

 

Mãe: (...) Desculpa, aquilo no café, sei que foi uma brincadeira infeliz. (...)

(...)

Mãe: (...) Ele tem 20 anos e tu 16. Nestas idades notam-se muito as vossas diferenças, ele é um homem feito e tu és uma criança. (...)

 

Não sei se fiz bem nem mal, mas mandei mensagem ao Alexandre a contar-lhe que tinha estado a "falar" com a minha mae sobre ele e ele quis logo saber o que se tinha passado,(...), disse que nem sabia o que me havia de dizer, e perguntou-me o que é que eu ia fazer e

 

eu apenas lhe disse: "Nada. Ou queres que me afaste de ti?"

Ele: "Por mim não, mas pela tua mãe nao sei."

Eu: "Não vou por aquilo que a minha mãe quer"

 

Disse também à minha mãe que gostava mesmo muito do Alexandre, mas que ele era apenas um amigo, um dos melhores até. E fiz questão de dizer tambem esta parte ao Alexandre.

 

 

Desculpem a confusão que aqui está, mas precisava mesmo de desabafar.

publicado às 21:20

#11

por Dany, em 02.01.11

Somos amigos, não sei o que ele sente por mim, o que ele quer ou deixa de querer. Não sei nada. Mas sei que este foi mais uma daquelas poucas vezes que quando surgiu a ideia de estar-mos juntos fiquei logo a tremer, e quando se confirmou tremia da cabeça aos pés e estava nervosa tal como da primeira vez que ele me ligou para perguntar se queria ir ter com ele. É tão bom estar ali ao lado dele, ele contar-me tudo aquilo que pensa, as pessoas que critica , o que achou bem ou mal e eu a mexer-lhe no pescoço , e a responder somente com um sorriso ou com um acenar de cabeça . Foi bom , ele reparar que eu tinha uma camisola nova, reparar no meu creme das mãos e dizer que cheira bem, dizer que o meu perfume parecia que cheirava a ortela mas que nao tinha a certeza (mas não cheira ! ) mas que gostava do cheiro. Foi bom sentir, que ele gostava quando eu lhe dava aqueles beijinhos na cara. E foi bom eu deixar de pensar e começar só a deixar acontecer, e da próxima vez (que espero que seja em breve), vou simplesmente deixar acontecer logo de incio. E adoro, adoro a maneira como me abraças quando te apercebes que eu amuei.

publicado às 02:11


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts mais comentados


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D